top of page
  • Reconectta

Horta, coleta seletiva e compostagem: o que tudo isso tem a ver com a emergência climática?


Se sua escola está antenada e comprometida com a sustentabilidade, ela certamente desenvolve projetos conectados ao currículo sobre essas temáticas. Mas você sabe como eles se relacionam com a emergência climática?


Ao longo de anos trabalhando com a facilitação de projetos em escolas, notamos a importância de estabelecermos essas conexões. Ouvimos com frequência perguntas como "O que a compostagem tem a ver com emergência climática?"; "Nós separamos os resíduos para a coleta seletiva, mas como isso contribui para o enfrentamento das mudanças do clima?"; e até mesmo "A horta não tem relação com isso tudo, tem?".


As conexões entre esses projetos às mudanças climáticas são profundas, significativas e precisam ser conhecidas.





Horta agroecológica na escola


Uma horta agroecológica é um sistema de cultivo que adota princípios ecológicos para produzir alimentos de forma sustentável e em harmonia com o meio ambiente. Ela se baseia em práticas que minimizam o uso de insumos externos, como fertilizantes químicos e pesticidas, e prioriza a utilização de recursos locais e naturais. A horta agroecológica promove a diversificação de culturas (espécies), a preservação da biodiversidade, o uso responsável da água e do solo e o respeito e valorização das relações com a natureza e com todos os seres vivos, incluindo os seres humanos direta e indiretamente envolvidos.


Nesse contexto, a horta agroecológica busca criar um ambiente equilibrado que reduz os impactos negativos ao ecossistema e contribui para a regeneração do solo e a saúde das plantas. Sua relação com a emergência climática se dá por conta do:


Captura de Carbono: hortas ajudam a retirar carbono da atmosfera. As plantas absorvem dióxido de carbono (CO2) para a fotossíntese, o que contribui para a redução da concentração de gases de efeito estufa, responsáveis pelo aquecimento global.


Redução da Pegada de Carbono: hortas em escolas promovem a produção local de alimentos. Isso reduz a necessidade de transporte de longa distância de produtos alimentares, o que diminui as emissões de CO2 associadas a essa logística.


Educação Ambiental: O cultivo de hortas proporciona uma oportunidade prática para os(as) estudantes aprenderem sobre os ciclos naturais, a importância da biodiversidade e como as ações humanas afetam o meio ambiente. A educação ambiental, portanto, aumenta os conhecimentos sobre as mudanças climáticas.


Redução do Desperdício de Alimentos: O envolvimento das escolas na produção de alimentos pode ajudar a reduzir seu desperdício. Quando estudantes participam do cultivo e colheita, eles(as) têm uma compreensão mais profunda do valor dos alimentos, o que pode levar a menos desperdício, reduzindo também as emissões de gases de efeito estufa pela decomposição dos alimentos desperdiçados.


Promoção da Agricultura Sustentável: hortas agroecológicas incentivam outras práticas sustentáveis, como a compostagem, o uso de fertilizantes orgânicos e a redução do uso de produtos químicos. Essas práticas protegem o solo, a água e a biodiversidade, enquanto reduzem os impactos ambientais negativos, como as emissões de poluentes, associados à agricultura convencional.


Conexão com a Comunidade: As hortas em escolas frequentemente envolvem a comunidade local. Isso pode criar laços mais fortes entre a escola e os moradores, promovendo o compartilhamento de conhecimento sobre sustentabilidade e práticas amigáveis ao clima.


Mudança de Comportamento: O envolvimento das crianças na plantação e manutenção de hortas agroecológicas pode levar a mudanças de comportamento em suas famílias. À medida que estudantes se tornam defensores da agricultura sustentável, eles(as) podem influenciar seus familiares e comunidades a adotar práticas mais amigáveis ao clima em suas casas.


Compostagem como solução sustentável


A compostagem é um processo ligado à decomposição de resíduos orgânicos, como restos de comida, cascas de frutas, folhas e outros materiais biodegradáveis, transformando-os em composto orgânico riquíssimo em nutrientes. A importância da compostagem na luta contra as mudanças climáticas está relacionada a vários fatores:


Redução de Resíduos: Ao adotar a compostagem, as escolas podem reduzir significativamente a quantidade de resíduos orgânicos que são destinados a aterros sanitários ou lixões. Isso, por sua vez, diminui a produção de metano, um potente gás de efeito estufa produzido na decomposição de resíduos orgânicos em aterros, bem como diminui a emissão de CO2 em seu transporte.

Enriquecimento do Solo: O composto resultante da compostagem é um excelente fertilizante orgânico que enriquece o solo, aumentando sua capacidade de reter água e nutrientes. Isso leva a uma agricultura mais eficiente, que requer menos irrigação e fertilizantes sintéticos, reduzindo as emissões de CO2 associadas à produção agrícola convencional.

Educação Ambiental: A compostagem oferece uma oportunidade prática para educar os(as) estudantes sobre o ciclo de vida dos resíduos, a importância da gestão de resíduos e a redução das emissões de gases de efeito estufa.

Envolvimento da Comunidade: As escolas que adotam a compostagem frequentemente envolvem a comunidade local, aumentando o conhecimento sobre práticas sustentáveis e inspirando a adoção de compostagem em residências e empresas locais.


As(os) educadores(as) desempenham um papel crucial na implementação bem-sucedida da compostagem na escola. Veja sugestões:

  • Introduzir o conceito de compostagem em sala de aula, vinculando-o a tópicos como biologia, química e sustentabilidade.

  • Organizar projetos práticos de compostagem que envolvam toda a comunidade, incentivando o engajamento ativo na coleta, montagem e manutenção.

  • Monitorar o progresso do processo de compostagem, transformando-o em uma oportunidade de aprendizado contínuo e análise de dados.

  • Integrar a compostagem em atividades interdisciplinares, relacionando-a a temas como alimentação saudável, segurança alimentar e impacto ambiental.


Separação de resíduos para a coleta seletiva


A separação de resíduos sólidos na escola é uma ação que contribui de várias maneiras:


Reciclagem Eficiente: Ao separar resíduos e enviar adequadamente para as cooperativas de catadores, a escola colabora com a reciclagem desses materiais. A reciclagem contribui para a economia de recursos naturais e para a diminuição das emissões de gases de efeito estufa associadas a esses processos.

Menos Resíduos em Aterros: A separação de resíduos reduz a quantidade de materiais que acabam em aterros sanitários ou lixões, o que é uma fonte significativa de emissões de metano.


Economia de Energia: Reciclar materiais consome menos energia do que a produção de novos a partir de materiais virgens. Portanto, a reciclagem contribui para a redução das emissões de CO2 provenientes da produção de energia.


É importante lembrar que o ideal é diminuir o consumo de forma geral e a nossa geração de resíduos.




O cultivo de hortas agroecológicas, a prática da compostagem e a separação de resíduos para a coleta seletiva representam uma maneira tangível e prática de contribuirmos para a mitigação das emissões de gases estufa e para a construção de um presente e futuro mais sustentável e justo para todos(as).

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page